fbpx

Você conhece bem as categorias da avaliação em Nutrição? Confira!

A avaliação em Nutrição é um processo especializado para o diagnóstico das condições nutricionais de uma pessoa. Para tanto, o nutricionista precisa considerar uma série de dados, como exame físico, histórico médico do cliente, medidas antropométricas, entre outros. 

Dada essa abrangência de informações, existem algumas categorias de avaliação em nutrição que conheceremos a seguir. Mas, antes, falaremos sobre a importância desse processo avaliativo. Acompanhe o artigo!

Por que a avaliação em Nutrição é importante? 

Por meio dessa análise, o nutricionista busca obter, verificar e interpretar dados necessários, a fim de detectar problemas ligados à Nutrição, bem como as suas causas e significância. Nessa análise, são observados sinais e sintomas, dados antropométricos e laboratoriais e história relacionada à nutrição, do cliente . 

Logo, a avaliação em Nutrição fornece a base para que o profissional possa oferecer diagnósticos precisos. Além disso, todas as informações obtidas nesse processo avaliativo servem de base para o acompanhamento do indivíduo e a aferição dos resultados, após o nutricionista determinar qual será o tratamento.

Quais são as categorias usadas na avaliação em Nutrição?

O Processo de Cuidado em Nutrição (PCN) foi desenvolvido pela Academy of Nutrition and Dietetics (AND) e propõe uma terminologia padronizada. A ideia é oferecer cuidados em Nutrição que sejam seguros, efetivos e de alta qualidade.

É importante ressaltar que apenas um método não é capaz de refletir o estado nutricional do cliente. Por isso, é necessário unir tanto metodologias subjetivas quanto objetivas para que seja possível chegar a um resultado mais próximo da realidade. Entre as categorias compreendidas na avaliação em nutrição, estão:

História Relacionada à Nutrição 

Esse método é baseado na entrevista entre o nutricionista e o cliente. No caso, o profissional fará uma anamnese ou colherá dados do prontuário. O histórico serve de base para detectar sintomas que alteram o estado nutricional do indivíduo. 

Por exemplo, o profissional investigará sobre o histórico alimentar, levantando informações sobre a quantidade e a qualidade dos nutrientes incluídos na dieta do cliente. Essa coleta pode variar em períodos de dias e até meses.

Após esse levantamento, os resultados são comparados ao padrão ideal para determinada população ou mesmo para um grupo em que o indivíduo se encontra, que pode ser de jovens, adultos, idosos, entre outros. 

Achados Físicos focados na Nutrição

O exame físico também é uma metodologia importante a ser incluída no processo de avaliação em Nutrição. Nesse caso, são identificados sinais de deficiência ou mesmo excessos nutricionais. A aparência física, o definhamento muscular e de gordura e as questões emocionais são pontos que devem ser observados. 

Por exemplo, o aumento da glândula da tireoide está diretamente relacionado à deficiência de iodo no organismo. Outro caso é o da anemia ferropriva, que é causada pela falta de ferro na alimentação, sendo o elemento essencial para o organismo, visto que ele ajuda na formação de hemoglobina no sangue. 

Medidas Antropométricas

Nesse método, são feitas avaliações das medidas, desde a dimensão até a composição corporal. Podemos exemplificar alguns indicativos que são utilizados, como: altura, peso, índice de massa corporal (IMC), categorias de índices/percentuais de padrão de crescimento e histórico do peso. 

Os resultados obtidos são comparados com o histórico que compila informações de um grande número de indivíduos integrantes da mesma categoria. Por exemplo, se uma criança vai a uma consulta, os dados dela são comparados com os de outros indivíduos da mesma idade. 

Dados bioquímicos, testes e procedimentos clínicos

A metodologia que dá nome ao título compreende os aspectos clínicos e epidemiológicos do cliente. No caso de uma avaliação, dados bioquímicos, testes e procedimentos clínicos são considerados para o estabelecimento de um diagnóstico em nutrição mais preciso. 

No aspecto clínico, são verificados fatores como as manifestações produzidas pelo problema nutricional. Geralmente, esse processo é realizado no ambiente hospitalar e ambulatorial.

No caso epidemiológico, a investigação é mais ampla e se refere à compreensão da realidade de populações e coletividades (família, moradia, condições sanitárias, situação econômica, entre outras). Isso ajuda na identificação de problemas nutricionais e no planejamento da intervenção. 

O PCN inclui, nesse grupo, dados laboratoriais (como, a quantidade de eletrólitos e glicose no organismo), além de testes (por exemplo, o tempo de esvaziamento gástrico e a taxa metabólica de repouso).

Quais são os cuidados para fazer a avaliação em nutrição?

Como foi visto, existem diferentes categorias de avaliação em Nutrição. Logo, o profissional precisa ter atenção não só para que sua escolha seja adequada, mas também para que a interpretação dos dados possa levar a um diagnóstico correto.

O primeiro cuidado é com relação ao padrão de referência mais apropriado para a avaliação. Por exemplo, considerando-se o cliente que está em tratamento, conhecer a idade que ele tem, a condição ou mesmo gravidade da doença, entre outros fatores. 

Tudo isso precisa ser pensado na hora de escolher a metodologia avaliativa. Imagine um indivíduo que sofra de uma doença renal: o estudo desse caso deve considerar especialmente os dados bioquímicos e clínicos, visto que a pessoa precisa de um tratamento adequado à sua situação. Lembre-se de que a avaliação é bem diferente para crianças e adultos. 

É importante ressaltar que os nutricionistas devem estar capacitados para prover diagnósticos precisos, visto que, hoje, muitas doenças estão ligadas diretamente ao aspecto da Nutrição. É por meio dessa intervenção que o profissional da área consegue identificar quais são as ações apropriadas para cada caso.

Uma das dicas é trabalhar com uma triagem que ajude a identificar os indivíduos com risco nutricional. Para tanto, além das metodologias apresentadas no artigo, outro critério a ser analisado diz respeito ao objetivo da prescrição. Nesse sentido, o profissional define o critério, a partir da observação do indivíduo, para fazer o seu julgamento clínico. 

O processo de avaliação em Nutrição é fundamental para a identificação de doenças, mas também serve para que o nutricionista tenha uma base para prescrever dietas, provendo tratamentos cada vez melhores. Como vimos, existem as metodologias subjetivas, como o histórico do cliente, mas também as objetivas, como os testes clínicos. 

Por fim, mais uma vez, destacamos a importância da qualificação do profissional, para que ele consiga adotar métodos eficazes. Pensando nisso, que tal fazer cursos nessa área? Entre em contato com o Instituto Cristina Martins e conheça boas opções de formação!

Comentar