fbpx

Nutrição para pessoas com deficiência: entenda como funciona

Muito se fala sobre a importância de trabalhar a nutrição para pessoas com deficiência. Mas será que você sabe exatamente o que isso significa?

Como profissional da área, você sabe que a nutrição é uma ciência que estuda a composição dos alimentos. Ela promove o bem-estar por meio da educação alimentar, levando em consideração as necessidades nutricionais do indivíduo. 

Alguns precisam de dietas ricas em proteínas e outros devem ter como ingrediente principal as vitaminas. Em outras palavras: cada pessoa é única e, por isso, necessita de uma dieta particular, que consiga manter o organismo saudável e em bom funcionamento. 

É nesse contexto que surge a demanda da nutrição para pessoas com deficiência. Afinal, esse é um mercando abrangente e necessita de profissionais qualificados, que reconheçam o cliente como um ser humano único e realizem um atendimento personalizado.

Quer entender mais sobre essa área promissora e tirar as principais dúvidas? Então, continue a leitura!

Como funciona o processo de intervenção em nutrição para pessoas com deficiência?

Alguns indivíduos apresentam deficiência física ou mental isolada. Em outros, ambas se manifestam simultaneamente. Fica evidente, nesse contexto, que a intervenção em nutrição depende da condição de cada um. É impossível generalizar. 

Não entendeu? É simples. A elaboração de uma dieta para uma pessoa com um problema físico não será a mesma de uma com deficiência mental. Isso significa que o atendimento deve ser individualizado, de acordo com as particularidades de cada uma.

Além do mais, uma pessoa com deficiência pode ser tanto um adulto quanto uma criança, o que interfere nas necessidades metabólicas e, por consequência, exige intervenções nutricionais distintas. Por isso, além de analisar a condição do cliente, é essencial avaliar a fase fisiológica em que ele se encontra.

Vale frisar que as demandas individuais exigem atenção extra, já que pequenos deslizes são mais que suficientes para causar aspirações e engasgos, impossibilitando que o organismo receba os nutrientes necessários. Nesse aspecto, o recomendado é que haja um acompanhamento em relação ao processo de deglutição e mastigação.

O ideal é educar os clientes, realizando as ingerências que o nutricionista julgar essencial. 

Qual é a importância de especializar-se nessa área?

Sabia que, no Brasil, mais de 20% da população tem algum tipo de deficiência? Isso é o que aponta o Censo de 2010. Esse valor corresponde a mais de 45 milhões de brasileiros. Por isso, especializar-se na área se apresenta não só como uma oportunidade, mas como necessidade, uma vez que existe número expressivo de pessoas que se enquadram nesses índices e não têm o devido tratamento.

A nutrição focada em pessoas com deficiência visa, então, oferecer uma alimentação balanceada, respeitando as particularidades de cada pessoa. Além do mais, ela trabalha com alguns pontos específicos, como dificuldade de mastigação, textura, seletividade por cores e consistência dos alimentos. O motivo? Existem situações em que pode ser necessária uma dieta mais pastosa ou uma composição diferente do prato, com o intuito de atender às demandas do cliente

Fato é que essa área permite explorar as diferentes situações de deficiência e os princípios de avaliação, diagnóstico, intervenção, monitoramento e aferição de resultados em nutrição.

Quais são os benefícios para a carreira do nutricionista?

Academias e lojas especializadas em suplementos, além de produtos alimentícios naturais, conquistam cada vez mais o mercado. As pessoas perceberam como a alimentação influencia na qualidade de vida delas. Nesse sentido, a tendência, mais do que nunca, é ter uma dieta equilibrada, aliando sabor com qualidade e, claro, nutrientes benéficos.

Não por acaso, multiplica-se o número de vegetarianos e veganos, assim como também aumentam as feiras orgânicas. Esse cenário é propício para a busca de nutricionistas, que são os profissionais responsáveis por montar um cardápio compatível com a realidade de cada pessoa, analisando as preferências, a idade e o objetivo de cada um.

Em outras palavras, o profissional é capaz de desenvolver um planejamento alimentar individual, além de contribuir para a promoção, manutenção e recuperação da saúde. 

Só que essa realidade nem sempre é viável para pessoas com deficiência, já que faltam profissionais especializados na área e que entendam, de verdade, as particularidades de cada uma. Assim, o nutricionista que investe em tal segmento não apenas se destacará na área, conquistando vagas promissoras, como também terá oportunidade de ajudar clientes em situações especiais. 

Como o setor carece de profissionais qualificados e de alta performance, o nutricionista que se especializar conseguirá se recolocar no mercado, alçando voos mais altos. Ele também se sentirá realizado tanto profissional quanto pessoalmente. 

Como se especializar em nutrição para pessoas com deficiência?

Assim como nos demais setores, o profissional que pretende se especializar em nutrição para pessoas com deficiência deve buscar por uma pós-graduação ou um curso que aborde o assunto.

As aulas ampliarão, por exemplo, os saberes no que diz respeito à atuação do nutricionista na reabilitação de crianças e adultos com deficiência — seja física ou mental. O profissional, então, estará capacitado para prestar cuidados em nutrição a pessoas com paralisia cerebral, mieomeningocele, síndrome de Down, lesão medular e doenças neurodegenerativas, entre outras.

A nutrição para pessoas com deficiência permite a criação e manutenção diária de bons hábitos alimentares. A partir disso, é possível ter um ambiente harmonioso e favorável para que o indivíduo experimente hábitos saudáveis, com extensa variedade de alimentos, fatores que contribuirão para a aceitabilidade do cardápio. O resultado é uma vida mais leve, com a devida nutrição para o corpo.  

O Instituto Cristina Martins é referência quando o assunto é expandir os horizontes dos profissionais de saúde na área de nutrição. A marca reúne 45 cursos técnicos profissionais de extensão e treinamentos online, além de 4 especializações Lato Sensu e 4 profissionais. Além do mais, são oferecidos diversos materiais educativos — virtuais e online. 

Ficou interessado pelo assunto e pensa em se especializar em nutrição para pessoas com deficiência? Então, conheça a nossa proposta. O curso portadores de deficiência  intervenção em nutrição: oral, sonda e parenteral tem duração de 60 dias e carga horária de 12h.

Comentar