fbpx

Nota fiscal para clínicas: saiba qual a importância e como emitir

Só quando nos associamos ou abrimos uma empresa é que percebemos a quantidade de obrigações que temos perante a lei. Um exemplo disso é a emissão de nota fiscal para clínicas, uma questão que gera bastante confusão e que, se não for realizada corretamente, pode até trazer problemas para os responsáveis pelos serviços prestados.

Para começar, é preciso entender que existem dois tipos de nota fiscal: a NF-e e a NFS-e. A primeira visa registrar a comercialização de produtos, enquanto a segunda serve para a prestação de serviços, sendo que ambas têm a função de fazer um registro das atividades comerciais e transferência de itens, bem como ajudar no recolhimento do Imposto de Renda.

Quer entender mais sobre as vantagens e processo de emissão da nota fiscal? Venha conosco, pois o assunto só está começando!

Em quais situações a emissão das notas é obrigatória?

A nota fiscal eletrônica é considerada obrigatória para todas as empresas e clínicas que disponibilizam serviços para os clientes. Veja bem, ela é um documento que serve para comprovar que houve a compra de um serviço dentro do estabelecimento, além de poder contabilizar o valor adequado de Imposto de Renda sobre o que está sendo comercializado.

É importante sempre emitir a nota fiscal eletrônica, mesmo em casos em que o cliente não pede o recibo ou diz que não há necessidade, uma vez que o não cumprimento disso caracteriza uma irregularidade.

Caso a empresa não cumpra essa tarefa, estará sujeita a riscos de processo pelo contratante e que podem vir a causar problemas financeiros e jurídicos. Portanto, é uma questão de ética e profissionalismo.

Como funciona o processo de emissão?

O primeiro passo para a emissão da nota é conseguir o certificado digital. Esse documento é responsável pelo reconhecimento do emitente e tem como objetivo assegurar uma proteção e controle.

Para adquiri-lo, é preciso ir à prefeitura de sua cidade para se informar a respeito dos locais de emissão e de como proceder e, ainda, obter o Cadastro Municipal do Contribuinte. A partir disso, você pode solicitar o certificado diretamente no site preenchendo algumas informações cadastrais.

Tendo esse documento, você já está apto a emitir as notas. Para isso, é necessário abrir o sistema emissor, realizar o preenchimento dos dados do prestador de serviços e do cliente, descrever o que está sendo comercializado e selecionar o código referente ao que foi prestado.

Quais são as ferramentas necessárias nesse processo?

Para facilitar o processo e evitar os erros que a emissão manual pode gerar (como falhas na digitação), é possível utilizar ferramentas como o software da NFS-e. Esse programa torna o procedimento mais simples e prático e mantém um histórico do que já foi emitido.

Quais os benefícios de utilizar a nota fiscal eletrônica?

Além de evitar processos e estar dentro da regularidade, utilizar a nota fiscal eletrônica garante algumas vantagens. Entre elas, podemos citar o controle fiscal e a organização que você terá dos serviços prestados, sem falar na facilidade em descontar o Imposto de Renda.

Além disso, como a emissão é totalmente online e via software, você não precisa ter grandes gastos com papéis, trabalho para armazenar os documentos ou perder tempo preenchendo dados, o que contribui para uma gestão eficiente. A impressão do registro só se faz necessária caso o cliente peça, e ainda existe a opção de enviá-la de forma eletrônica.

Portanto, é imprescindível não deixar de emitir a nota fiscal para clínicas em todas as comercializações realizadas, a fim de aproveitar todos os benefícios e estar dentro da legislação. Dessa forma, você evita dores de cabeça para você e para a empresa à qual presta serviços.

Conseguiu tirar suas dúvidas a respeito do assunto? Aproveite para nos seguir no Instagram e curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de mais posts úteis como este!

Comentar