fbpx

Inter-relação nutricionista-cliente: como otimizar esse relacionamento?

Última atualização em

O nutricionista tem a missão de ajudar as pessoas a adotarem melhores hábitos alimentares, de acordo com as necessidades e a realidade de cada um.

Trata-se de um relacionamento baseado na confiança e que impõe muitos desafios. O fato é que equilibrar a inter-relação nutricionista-cliente pode não ser nada fácil.

Afinal, no acompanhamento em nutrição, estão envolvidos diferentes fatores físicos, psicológicos, emocionais e até financeiros, que podem ser determinantes para o sucesso do atendimento.

Neste post, apresentamos algumas dicas sobre o que fazer para melhorar a sua relação com os clientes. Continue a leitura e mãos à obra!

Ofereça um clima receptivo

O primeiro passo começa logo quando o cliente entra na sala para o atendimento: deixá-lo à vontade.

É bom ter em mente que nem sempre as pessoas estão em uma situação confortável, como no caso de obesidade e outros problemas de saúde.

Portanto, tanto a sua fala quanto o ambiente devem oferecer um clima agradável e acolhedor.

Para isso, cumprimente-o olhando nos olhos, apresente um sorriso discreto e seja amigável, mas mantendo o profissionalismo.

Se for possível, faça algumas modificações no seu ambiente de trabalho para deixá-lo mais acolhedor, como melhorar a iluminação ou acrescentar uma pintura.

Os móveis, principalmente a cadeira em que o cliente vai sentar, precisam ser confortáveis e discretos.

Procure entender o perfil do cliente

Algo que um nutricionista precisa sempre ter em mente é a variedade de perfis de clientes.

Eles diferem em relação às necessidades, aos objetivos e, principalmente, em relação à situação financeira.

Assim, não dá para tratá-los da mesma maneira. É preciso ter sensibilidade para, por exemplo, saber a diferença entre lidar com um cliente que apenas deseja ter mais qualidade de vida de outro que tem problemas de saúde, como obesidade e anorexia — e que, em decorrência disso, pode apresentar uma condição psicológica bastante prejudicada.

No caso das finanças, você, como nutricionista, deve entender que nem sempre uma pessoa poderá utilizar certos alimentos, por mais adequados que sejam.

O melhor é sempre dar opções de substituição, adequadas ao bolso e aos hábitos alimentares do cliente.

Não julgue a situação do cliente

Quando o cliente se encontra em uma situação muito delicada, como obesidade, anorexia, diabetes e hipertensão, ele talvez não tivesse chegado a esse ponto se tivesse adotado outros hábitos.

No entanto, não é papel do nutricionista julgar por que ele adquiriu esses problemas.

Dessa forma, o melhor é tentar entender todo o histórico do cliente, até para conseguir chegar a um entendimento adequado da situação. Converse com ele, saiba ouvir e tenha paciência e tolerância.

Trate-o com respeito e empatia

Por fim, como continuação do tópico anterior, destacamos a necessidade de sempre tratar o cliente com respeito e empatia, que é a capacidade de se colocar no lugar dos outros.

Antes de atribuir julgamentos de valor, procure entender a situação do cliente, colocar-se no lugar dele e perceber o quanto a situação atual deve ser difícil para ele.

Nesse momento, ter sensibilidade e saber analisar o quadro como um todo pode fazer muita diferença.

Até mesmo o tratamento pode ser mais eficiente se existir mais compreensão.

A verdade é que a inter-relação nutricionista-cliente depende de um exercício diário de tentar ser melhor como ser humano e como profissional.

Por isso, é fundamental buscar se informar, atualizar-se e melhorar constantemente.

O que achou das nossas dicas? Como você faz para melhorar a sua relação com os clientes?

Assine a nossa newsletter para ficar por dentro de dicas como essas!


Comentar