fbpx

Ética em nutrição: como garantir a confiança em suas escolhas?

Valorizar a ética em nutrição implica não apenas seguir o que determina o Código de Ética do Nutricionista, conforme a Resolução CFN Nº 334/2004. Na verdade, nutricionistas que exercem suas funções eticamente fazem muito mais do que seguir normas estabelecidas.

Por exemplo, se um profissional atende casos com perfil e diagnóstico para o qual não foi preparado, pode colocar clientes em risco. E pode, inclusive, agravar a enfermidade ou os problemas nutricionais deles.

Portanto, é fundamental assegurar que as intervenções em nutrição tragam resultados positivos, assim como evitem riscos aos clientes. A ética é baseada em vários princípios éticos. Prossiga na leitura e saiba quais práticas você pode e deve incorporar ao seu dia a dia, de acordo com os princípios éticos da profissão! Vamos lá?

1. Não faça atendimentos de outras especialidades

Um dos pontos mais importantes a serem observados no exercício da profissão de nutricionista diz respeito às competências acumuladas. Nesse aspecto, profissionais que não tenham formação adequada ou estejam desatualizados em relação a determinadas condutas, não devem atuar em casos que exijam alta especialização e conhecimentos específicos.

Por exemplo, não é ético um nutricionista atender crianças se não é especializado em nutrição pediátrica. Não somente a faixa etária exige especialização, mas também os tipos de problemas. Por exemplo, se não é especializado em diabetes, o nutricionista não deve atender clientes com essa enfermidade. Em mais um exemplo, um especialista em nutrição esportiva pode não ser o mais indicado para o cuidado nutricional de um paciente em hemodiálise.

Além da não maleficência (não fazer mal) e da beneficência (agir no melhor interesse do cliente), outro princípio da ética é a vulnerabilidade. Esta refere-se à fragilidade de um ser humano. Pessoas vulneráveis são aquelas cuja autonomia, integridade e dignidade podem ser ameaçadas. A condução de práticas nutricionais inadequadas ou não comprovadas como benéficas, em indivíduos vulneráveis, fere ainda mais fortemente a ação com ética.

Infelizmente, um dos conflitos mais recorrentes no meio de nutricionistas é a inadequação da experiência profissional para a necessidade da clientela.

Lembre-se: mesmo sem intenção, um nutricionista não capacitado e que promove risco à saúde de um cliente, vulnerável ou não, está sujeito a processos éticos e judiciais.

2. Mantenha-se sempre atualizado e em aperfeiçoamento

Dentro do que diz a ética da profissão, é dever do nutricionista estar permanentemente atualizado sobre métodos, práticas e legislação. Dessa forma, estará garantindo o melhor atendimento possível, enquanto disponibiliza a última palavra em intervenção para seus clientes e evita a exposição ao risco.

É extremamente importante que os nutricionistas usem os recursos para educar-se, manter-se como exemplos de comportamentos éticos no decorrer da carreira. O nutricionista deve servir de exemplo para outros, quaisquer que sejam suas ocupações.

Então, é dever de todo nutricionista manter-se continuamente atualizado. Além de ser obrigação profissional, evita transtornos com processos jurídicos e éticos.

3. Avance em seus conhecimentos e competências

Nada mais perigoso para clientes do que um nutricionista que se fecha dentro do que já sabe. A nutrição, em diversos aspectos, está em constante evolução de técnicas, conhecimentos e metodologias para direcionar as intervenções.

Uma conduta nutricional aplicada hoje poderá não ser adequada amanhã, em função de novas evidências científicas que nos forçam a rever conceitos o tempo todo. Faz-se necessário, portanto, honestidade em relação ao que já sabe. E humildade para se posicionar como um eterno aluno. A honestidade também é um princípio ético, com diversas facetas.

Como você pôde perceber, a ética em nutrição envolve, acima de tudo, o entendimento e a aplicação do conceito de responsabilidade. Nutricionistas responsáveis colocam os interesses dos clientes à frente dos seus, garantindo, pelo exemplo, a manutenção das boas práticas e, logo, o sucesso do cuidado em nutrição. Ética envolve o equilíbrio das regras, dos objetivos e virtudes para alcançar a justificativa moral de decisões no melhor interesse do indivíduo.

Você concorda que a ética em nutrição é fundamental? Mantenha-se atualizado, siga nosso perfil no Instagram e nossa fanpage no Facebook para continuar a receber conteúdos interessantes para a sua atuação!

Comentar