fbpx

Conheça a importância de um curso de gastronomia para os nutricionistas

Na obra “Fisiologia do gosto: ou meditações da gastronomia transcendente”, o autor Brillat-Savarin descreve a gastronomia como “o conhecimento e a compreensão de tudo o que se relaciona com o homem enquanto come. Sua finalidade é garantir a preservação dos homens, usando a melhor comida possível”. Não por acaso, o curso de gastronomia tem uma grande importância para os nutricionistas.

Há milhares de anos, o pai da medicina, como Hipócrates é conhecido, já havia relacionado o alimento e a saúde. Enquanto a nutrição estuda os processos do organismo, desde o recebimento até a eliminação de nutrientes, a gastronomia foca no conhecimento de processos culinários. A união de ambos ajuda a tornar o nutricionista um profissional ainda mais completo. A seguir, mostraremos por que investir em tal habilidade, suas vantagens e muito mais. Confira!

Quais as vantagens de os nutricionistas terem conhecimento em gastronomia? 

Os profissionais da área de nutrição que investem em um curso de gastronomia têm a possibilidade de expandir os seus conhecimentos na forma como são preparados os alimentos, focando na saúde e bem-estar dos seus clientes. 

O nutricionista com tal habilitação pode auxiliar seu cliente a diversificar a alimentação cotidiana, evitando a chamada monotonia alimentar. Como consequência desse trabalho, há maior adesão ao plano alimentar recomendado, visto que não é preciso abrir mão do sabor e do prazer para comer saudável. 

Suponhamos que uma pessoa vegana o procure. Com melhor conhecimento da gastronomia, fica mais simples sugerir trocas equivalentes e saudáveis que precisam estar presentes no dia a dia da pessoa. Ou seja, você tem a possibilidade de sugerir receitas variadas, tornando a adaptação vegetariana mais interessante e diversificada. 

Quais as diferenças entre gastronomia e nutrição?

A gastronomia e a nutrição estão em um campo de estudos comum, sendo conhecimentos complementares. No entanto, as diferenças existentes entre as duas geram a possibilidade de um nutricionista se aperfeiçoar por meio de cursos de gastronomia. Confira quais são as distinções entre as áreas:

Gastronomia

A gastronomia não deve estar simplesmente associada ao ato de cozinhar ou à elaboração de pratos bonitos. O seu foco está na mistura de sabores e criação de receitas de acordo com determinado tipo de culinária. 

Nesse ramo de conhecimento, existes estudos sobre técnicas culinárias, combinações de ingredientes distintos e a criação de receitas que agradem ao paladar das pessoas, não havendo necessariamente preocupação com os nutrientes de uma refeição, mas com a variação e implementação de refeições saborosas. 

Nutrição 

Essa área foca no caráter científico da representação que os alimentos têm na vida das pessoas, levando em consideração os aspectos nutricionais das refeições (vitaminas, proteínas, carboidratos etc.). O objetivo é prevenir ou tratar doenças e problemas de saúde, e também auxiliar os indivíduos na implementação de um novo estilo de vida e necessidade de uma dieta especial. 

Logo, há a preocupação dessa ciência com a composição de cada alimento e os efeitos deles sobre o corpo humano. Há, também, a questão ligada à saúde, pois a nutrição é uma área técnica. 

Qual a importância da gastronomia para a nutrição?

Em nenhum outro momento da história, o alimento e a nutrição estiveram tão próximos e alinhados como agora. Isso mostra a necessidade de desenvolvimento de habilidades na área culinária por parte dos nutricionistas. Com isso, os profissionais são capazes de fazer a ligação entre alimentos e saúde, trazendo soluções que atendam às necessidades de cada indivíduo.

O fato é que ambas as áreas são parceiras. Se de um lado as práticas culinárias são o caminho natural para o aumento da conscientização e conhecimento nutricional, por outro a aplicação da nutrição ajuda na preparação de alimentos, culminando em uma experiência mais saborosa e nutritiva.

Um profissional com habilidade tanto em nutrição quanto em gastronomia pode ter grande impacto na saúde dos indivíduos. Ele consegue conscientizar o cliente sobre a qualidade nutricional dos alimentos e ainda dar sugestões práticas de preparações e refeições saborosas. 

Como é o mercado para quem une ambos os conhecimentos?

O Brasil é um país com uma gastronomia rica e diversificada, o que proporciona muitas possibilidades aos profissionais que atuam na área de alimentação e saúde. Quem tem habilidades nas duas áreas pode fazer grande diferença na saúde de seu cliente devido a melhor conscientização sobre a qualidade nutricional dos alimentos. 

Além da atuação em consultórios particulares e atendimento domiciliar, o profissional também encontra possibilidades em hospitais, clínicas, instituições de saúde pública, restaurantes, indústria de alimentos e dezenas de outras organizações. 

As exigências em relação à alimentação têm aumento ao longo do tempo. Hoje em dia, as pessoas buscam por alimentos que sejam saudáveis sem que, para isso, seja necessário recorrer a comidas sem sabor. Logo, o conhecimento sobre apresentação e preparo de alimentos é considerado um serviço diferenciado e cada vez mais valorizado no cuidado com o cliente. 

Para se ter ideia sobre o impacto de um profissional qualificado, basta observarmos a atuação dietoterápica. A internação é em grande parte associada a um momento de angústia e ansiedade, especialmente devido ao posicionamento da pessoa como interno.

Ainda existe o conceito de que a dieta hospitalar é algo sem sabor e que tem apresentação não convidativa, tornando-se repetitiva e monótona, na medida que o período de internação se estende. 

A associação entre nutrição e gastronomia representa um avanço, afinal o profissional atuará não só no encontro de alternativas para as dietas, tornando a refeição mais agradável, mas também diminuindo as influências negativas sobre a chamada “comida de hospital”. Isso impacta no tratamento, levando qualidade de vida às pessoas.

Mesmo diante de doenças que restringem consumos de certos alimentos, o nutricionista com habilitação em gastronomia consegue ter uma atuação mais favorável. Se uma pessoa precisa de mais proteína, por exemplo, mas não gosta de carne, o nutricionista poderá ajudar em receitas e preparações substitutas, mas que agradam ao paladar do cliente.

Investir em cursos de gastronomia para nutricionistas é uma maneira não só de diferenciar seu trabalho, mas também de atender a uma demanda por saúde e prazer no ato de se alimentar, cultivada na sociedade moderna. 

Esperamos que você tenha gostado do nosso artigo. Se quiser saber mais sobre o assunto e se qualificar, entre em contato conosco!

Comentar