fbpx

Como a nutrição pode ser essencial no controle de doenças crônicas?

O nutricionista é um dos profissionais que compõem a equipe multidisciplinar que faz o acompanhamento de pacientes portadores de doenças crônicas. Afinal, por meio da alimentação é possível garantir a eles mais qualidade de vida, minimizando sintomas e complicações.

Em função disso, a nutrição tem um papel muito importante para os pacientes que apresentam essas condições. E também é uma área essencial para complementar a atuação dos médicos responsáveis por cada caso.

Preparamos este artigo para que você entenda a extensão da atuação do nutricionista e o quanto seu trabalho é importante para o controle dessas doenças. Continue lendo e veja porque a nutrição é essencial para os casos crônicos.

De que forma a nutrição impacta o tratamento de doenças crônicas?

Quem não está habituado com a rotina de um nutricionista muitas vezes não tem uma boa perspectiva a respeito do seu trabalho. Afinal, você sabe que não se trata apenas de criar cardápios e ajudar as pessoas a emagrecerem.

O trabalho de profissionais da nutrição é muito mais complexo, sendo que as suas recomendações impactam de forma direta a saúde das pessoas. E, no caso do tratamento de doenças crônicas, ela é essencial para garantir a recuperação e o controle da saúde dos pacientes.

Veja a seguir como a nutrição participa do tratamento das doenças crônicas.

Controlando a ingestão de substâncias nocivas

A grande maioria dos pacientes portadores de doenças crônicas precisa ter um controle rigoroso dos alimentos que ingere. Afinal, certas substâncias podem comprometer expressivamente a sua saúde e agravar o seu quadro clínico.

Frente a isso, a nutrição auxilia na escolha dos melhores grupos alimentares para cada tipo de paciente. A escolha é minuciosa a fim de que o indivíduo não seja privado de nutrientes, mas também não receba em excesso substâncias que seriam nocivas para ele.

Esse é o caso dos hipertensos com o sódio, dos diabéticos com o açúcar, dos cardiopatas com gorduras, dos doentes renais com sais minerais, e assim por diante.

Ofertando uma quantidade maior de nutrientes específicos

Ao mesmo tempo em que o nutricionista ajuda a controlar as substâncias que podem fazer mal para os doentes crônicos, ele também indica outras que contribuem para equilibrar as funções orgânicas.

Somente esse profissional está habilitado para fazer substituições de alimentos e compensações de nutrientes. Afinal, por meio da ingestão de alguns é possível minimizar o efeito de outros, então, a atuação do nutricionista é fundamental para que o paciente obtenha saúde por meio da sua alimentação.

Orientando e apoiando a mudança comportamental

O nutricionista também tem um papel fundamental ao orientar e apoiar a mudança comportamental de pessoas com doenças crônicas. Isso porque ele não somente indica alimentos, mas também o modo adequado de prepará-los, o melhor momento para ingeri-los, a quantidade ideal, entre outros.

Esse profissional propõe uma reeducação alimentar para pacientes crônicos, então, a sua forma de abordagem é essencial para que essas pessoas aceitem o tratamento proposto. A sua orientação, o seu apoio e o seu estímulo fazem toda a diferença.

É por isso que é muito importante usar da empatia para prestar um atendimento humanizado. Assim é possível compreender as dores dessas pessoas, de forma a possibilitar a adoção das melhores estratégias e abordagens, para que elas estejam dispostas a mudar o seu comportamento e a sua relação com os alimentos.

Estimulando hábitos saudáveis

A abordagem e o atendimento do nutricionista são muito importantes para que ele possa estabelecer uma relação de confiança com os doentes crônicos. Com isso, esse profissional consegue estimular a adoção de hábitos mais saudáveis.

Mostrando para essas pessoas as vantagens e benefícios que isso trará, o nutricionista consegue persuadi-las para que estejam dispostas a tomar melhores decisões em seu dia a dia, aquelas que trarão mais saúde e qualidade de vida.

Esse profissional tem a oportunidade de encorajar as pessoas com doenças crônicas, mostrando para elas que é possível viver melhor se estiverem dispostas aceitar os seus conselhos. Por isso, é importante essa relação mais próxima e empática, cativando a simpatia das pessoas.

Possibilitando mais bem-estar ao paciente

Como profissional da nutrição, você sabe que as substâncias presentes nos alimentos são capazes de promover mudanças orgânicas e mentais. Afinal, o cérebro funciona com reações químicas, que são estimuladas pelos nutrientes que ingerimos.

Ao complementar o tratamento dos doentes crônicos, o nutricionista possibilita para essas pessoas mais bem-estar. Isso porque elas terão uma melhora no seu quadro clínico, devido à ingestão dos nutrientes que necessitam.

Além disso, ofertando para essas pessoas grupos alimentares específicos, também é possível promover as reações químicas que citamos, de modo que a alimentação, ainda que seja limitada, traga sensação de satisfação.

Potencializando o tratamento médico das doenças crônicas

É fato que doentes crônicos precisam de terapias medicamentosas. São essas drogas que vão controlar os sintomas, estabilizar o quadro e minimizar as chances de complicações. Mas a alimentação ajuda a complementar tudo isso.

Afinal, uma pessoa não pode viver apenas de remédios. Os alimentos continuam sendo a fonte de energia e nutrientes para o organismo humano e, por meio deles, tanto podemos prevenir problemas como combater aqueles já existentes.

É por isto que a nutrição tem o importante papel de potencializar o tratamento médico das doenças crônicas. Porque, por meio dos cardápios e das recomendações do nutricionista, o organismo se torna mais saudável e resistente.

Sendo assim, aos poucos ele se reequilibra, retoma as suas funções normais e ainda responde melhor aos tratamentos médicos. O sistema imunológico é reforçado, ao mesmo tempo em que o paciente tem mais energia, e tudo isso ajuda a garantir mais qualidade de vida.

Impactando a autoestima do paciente

Em função de todos os benefícios que a nutrição traz para os doentes crônicos, ela também ajuda a impactar de forma positiva a sua autoestima. Isso está associado tanto à melhora do quadro clínico como à alimentação mais completa e satisfatória.

Essas pessoas começam a se sentir melhores, ficam bem dispostas, têm mais energia, menos recaídas e sentem a melhora também em sua aparência, que se torna mais saudável. Tudo isso faz com que elas se sintam mais seguras e autoconfiantes.

Ao mesmo tempo em que passam a se gostar mais e aceitar o seu problema, elas também respondem melhor ao tratamento médico e atendem as recomendações dos especialistas. Tudo isso porque percebem que os seus esforços estão sendo válidos e estão trazendo resultados positivos.

Grande parte dessa evolução é mérito do nutricionista, haja visto que remédios causam efeitos colaterais, que geram abalos significativos para o organismo. Ou seja, somente as terapias medicamentosas poderiam causar mais debilitação para o organismo dessas pessoas.

Sendo assim, a nutrição é fundamental para que os aspectos negativos dos tratamentos das doenças crônicas sejam minimizados, e isso possa se refletir no bem-estar na autoestima dos doentes crônicos.

A atuação do nutricionista é indispensável no tratamento de doenças crônicas. Os conhecimentos desse profissional, suas abordagens e estratégias são essenciais para garantir a saúde dos pacientes, sua nutrição, seu bem-estar, autoestima e ainda uma melhor resposta orgânica aos demais procedimentos.

E o nutricionista pode contribuir ainda mais no tratamento de pacientes diversos quando está bem preparado. Para isso, precisa investir em sua formação. Entre em contato conosco e conheça nossos cursos para obter um diferencial!

Comentar